terça-feira, 4 de abril de 2017

Música & Poesia - É do Borogodó!

Socorro Lira, compositora e cantora da Música Popular Brasileira, musicou um poema meuzinho, e para ampliar nosso coração, em tardes frias e manhãs geladas onde o desejo é sufocado pelo correr do tempo no mundo, coloco aqui essa janela melódica... como se fosse uma cortina a correr no espaço que busca o pensamento.
Uma prenda para a nossa ponte de leituras nossas, Brasil e Portugal, porque a palavra é um instrumento com muito borogodó.
Penélope Martins -


 **

“Na tarde em que te beijei
Botei colibri no peito
Cresceu meu maior desejo
O que na boca calei.
Silêncio, olhos cerrados
Olhando por dentro de mim
Cheiro de mel e jasmim
Minha alma tinha tomado.
Um beijo mais fundo chorei
Sem pensar no que sentia
Sua boca tomando minha sina
Sua boca me assina, me ensina
O que já sei.

Amor, são meus olhos de chuva n’ocê
A principitar do céu a gentileza
De apagar essa brasa acesa
sem ter nem pra quê.
Amor são meus olhos chovendo manso
Brotar da terra entre nós
Rio passando vale, serra
Pedra da minha canção.

Sem comentários:

Publicar um comentário