terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

rasto


a bordo o céu
é muitos azuis
um corpo
à janela sustém
a mão da respiração
no rasto da viagem
ramagem a sós
por sobre
a cartografia
da saudade.


Helder Magalhães



Sem comentários:

Publicar um comentário