terça-feira, 29 de novembro de 2016

atemporal


desço os socalcos da existência
e nas faldas um rio avança
abismo-me na vertente das águas
límpidas e frescas e ágeis
e venho ao de cima feito espuma
medrando de atemporalidade.


Helder Magalhães


Karine Silva

Sem comentários:

Publicar um comentário