terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

vaga-lume


não tragas o inverno
para dentro
deixa-o aí à porta
junto dos sapatos enlameados
aquieta a tua voz
aqui rente à minha pele
que nem o ardor
do braseiro
nas palmas das mãos
olha as clareiras
acesas na floresta
da tua passagem
e tudo o que crepita ao redor
deixa os sapatos à entrada
flutua descalça
sobre mim.


Helder Magalhães


Marta Bevacqua Photography

Sem comentários:

Publicar um comentário