terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

É do borogodó: das utopias

DAS UTOPIAS, DE MÁRIO QUINTANA

– Georges Méliès

Se as coisas são inatingíveis… ora!
Não é motivo para não querê-las…
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas!
*É do borogodó é escolhido pela nossa ponte até ao Brasil - Penélope Martins

Sem comentários:

Publicar um comentário