domingo, 17 de janeiro de 2016

Por andará a madame agora

Por onde andará a madame agora, que avançava pé ante pé manhã adentro e me fazia alcançar novamente todas as idades da infância?
Os homens só servem para teorias (matemáticas e literaturas e derivados) e por isso esquecem-se que não podem saber de si se não houver ninguém a saber deles. Usam palavras que não acabam para dizer tão pouco e não é que afinal de contas, ao fim de tantas letras que fogem e emoções que se afastam, acabam por continuar em silêncio para as coisas importantes.
Temos saudades porque sabemos que vamos morrer e então pergunto-me se a madame continuará ainda meio metro à minha frente, plantando sorrisos no chão para que eu os continue a apanhar, convicto de que sei tudo, tudo do nada.

Gonçalo Naves

Imagem retirada daqui: http://www.restauranteviagraca.com/

Sem comentários:

Publicar um comentário