quinta-feira, 8 de outubro de 2015

a-ver-livros: voo rápido

A sombra do melro rasgou 
o prédio em voo 
rápido
num 11 setembro das aves
e nós na corda riscada
entre uma nuvem
e outra 
à revelia do medo
a dança que o equilíbrio
permite

Adiante a árvore abraça 
a luz 
e a noite cai, exausta
de tentar lavrar o epitáfio dos jardins
no canteiro minúsculo

Será Janeiro, um dia,
abrirás em flor e eu terei 
morrido

Ana Almeida

* autor desconhecido

Sem comentários:

Publicar um comentário