quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Star of Bombay, Helder Magalhães

Star of Bombay

Como se ao primeiro gole
o mar desaguasse nas fortalezas de Bombaim
sob o cheiro da terra vermelha
na ondulação morna das primeiras chuvas

muitos séculos volvidos
a lenta rebentação das águas do Tejo
ondeia na carne da língua 
a generosa descoberta das especiarias

junto ao cais a noite
desfralda a superfície do horizonte
o corpo náufrago de esplendor
que a chama da destilação sopra dentro.

*Helder Magalhães


Porque aqui vai nascer um projecto diferente de gin, não perca os nossos poemas.


Sem comentários:

Publicar um comentário