terça-feira, 11 de agosto de 2015

saliva


pensar que um beijo no joelho
abriria a rosa à janela
e feixes de sol pousariam
sobre a estrada de saliva
que me levaria ao jardim

fui borboleta num crepúsculo
agora caída ao parapeito.



Helder Magalhães


Laura Makabresku

Sem comentários:

Publicar um comentário