quinta-feira, 21 de maio de 2015

a-ver-livros: pelos telhados

Se puderes, 
arranha-me esta impressão 
estranha
que trago dentro
sabe-me ao metal
da faca o beijo de ontem
doem-me as costas
e a crença
não há entrega sem a falsa fé
dos telhados
que afeiam o horizonte

Ana Almeida

A. Soner

Sem comentários:

Publicar um comentário