domingo, 1 de março de 2015

Sobre o acto de escrever

Entrevista a Siri Hustvedt


"Escrever ficção é também, acho eu, um acto intersubjectivo, ninguém escreve para si próprio, é sempre para outro, para um outro imaginário.

E pergunto-me a mim mesma, quem é esse outro?

Li algo que Nabokov disse acerca dos seus leitores. Nabokov disse que compreendera que os seus leitores eram todos estes pequeninos "Nabovokes" que percebiam tudo. É uma afirmação muito narcisista, mas ao mesmo tempo percebi que aí estava parte da verdade.

De alguma maneira, o leitor ideal é a pessoa que leu tudo o que lemos, que percebe as nossas piadas, os nossos trocadilhos, tudo. Existe aqui uma questão de reflexo. Mas também uma diferença: tal como na psicanálise, a literatura lida com material inconsciente e não sabemos de onde vem esse material, aparece na página e muitas vezes pode surpreender-nos."

Retirado do Programa da Sic Notícias:
O Valor da Liberdade | Diálogos Sobre as Possibilidades do Humano
Entrevista completa: http://sicnoticias.sapo.pt/programas/o-valor-da-liberdade/2015-03-01-Entrevista-a-Siri-Hustvedt
28-02-2015

Siri Hustvedt

Sem comentários:

Publicar um comentário