quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

HAVEMOS DE TE VENCER

Tu só obcecado contigo próprio, só tu só tu só tu, só o teu caminho o teu percurso e por ele a fazeres tudo, se lhe queres o corpo se lhe queres as entranhas pede-lhe, pede-lhe nos olhos, diz-lhe que a andas a desejar já faz vários anos e estás farto de esperar, quero-te comer toda vem cá, diz-lhe isso se te resta fio de algo.
Mas não dizes porque tu não mais que um cobarde. Queres violá-la sem respeito entrar-lhe de fininho e comeres tudo, fígado rins intestino cabeça pernas e braços. E ela sem dar por isso tal não é a tua mestria, o teu jogo de pernas, esse balanço já vem de trás não me enganes, já foram muitas muitas e muitos nem a isso olhas. Quando se apercebeu já tu de saída, nem te despediste. Tu, verme podre, tu não desculpas ninguém. Nem a mãe dela de joelhos, as mãos entrelaçados o cérebro já morto e por isso o coração aberto, ela a implorar-te, dou-te o que quiseres desculpa-a desculpa-nos leva-me a mim. E depois disso um deserto de silêncio. 
Mas nada te serve que não essa missão, tu tão egoísta e portanto eu tão áspero contigo todos tão ásperos contigo.

E depois tu ainda de boca em boca, assunto diário fecundas medo em tudo. Todos te perseguem e não há-de faltar muito tenho a certeza, a tua força começa a passar para as pessoas, elas mais fortes e tu quase no chão, desiste já desiste e não serás humilhado. 

Gonçalo Naves


Foto tirada daqui: https://jornalismoaudiovisual.wordpress.com/2013/02/15/350-novos-casos-de-criancas-com-cancro-em-portugal/

Sem comentários:

Publicar um comentário