sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

In Uma Menina Está Perdida no seu Século à Procura do Pai


Sinto que se abusa da realidade. Alguém parece estar continuamente a trazer pelas linhas de caminho-de-ferro carregamentos gigantescos de realidade, como se esta tivesse mesmo um peso, fosse feita de um material concreto, e alguém, uma instituição de origem e fins desconhecidos, estivesse encarregado de manter os fornecimentos.

Sem comentários:

Publicar um comentário