terça-feira, 11 de novembro de 2014

Eu poético: «Um dia»

Um dia

Um dia quando era pequeno,
aprendi a palavra
para
lele
pípedo.
---
Paralelepípedo...
Repetia em voz alta.
---
E ficava a ouvir o eco.
O eco do
para -- para -- para
lele - lel - le
pí -- pí -- pí
pedo -- do -- do.

Depois aprendi na escola
que paralelepípedo não é mais
do que geometria.
Prisma de seis faces,
duas são idênticas
e paralelas entre si.

Um dia quando era maior,
percebi a palavra
a
m
o
r.
---
Amor...
Escondi-a lá no fundo.
---
E ficava a chorar a saudade.
A saudade do
a-a-aaaa
mmm - mmm
oo - oo - oo
r.

Depois aprendi com a vida
que amor não é mais
do que geometria.
Prisma de várias faces,
múltiplas pessoas idênticas
e raramente paralelas entre si.

 

Rodrigo Ferrão
Foto: Rodrigo Ferrão

Sem comentários:

Publicar um comentário