domingo, 16 de novembro de 2014

Abraçar as palavras por ele escritas

E as palavras? Aonde vão? Quantas permanecem? Por quanto tempo? E, finalmente, para quê? São perguntas ociosas, bem o sei, próprias de quem cumpre 86 anos. Ou talvez não tão ociosas assim se penso que meu avô Jerónimo, nas suas últimas horas, se foi despedir das árvores que havia plantado, abraçando-as e chorando porque sabia que não voltaria a vê-las. A lição é boa. Abraço-me pois às palavras que escrevi, desejo-lhes longa vida e recomeço a escrita no ponto em que tinha parado. Não há outra resposta.


José Saramago, aos 86 anos. Hoje faria 92.

Artigo completo disponível em: http://www.josesaramago.org/abracar-palavras-por-ele-escritas/

Sem comentários:

Publicar um comentário