terça-feira, 28 de outubro de 2014

O Javali de Vladivostok: O escritor de policiais que matou o protagonista à segunda página

Ideia para colecção de 10 livros tipo Poirot.

Enredo:

Toriop, ex-agente secreto - percepção Sherlock, voz de barítono Nero Wolfe, paladar Pepe Carvalho e pantufas Maigret -, é chamado para investigar o assassinato dos sonhos das pessoas que têm filhos, em Paramos.

Acontece que tropeça numa vírgula mal posta pelo narrador e parte o pescoço no primeiro hífen da palavra 'fim-de-semana'. O escritor é Adventista dos Assassinos do 7º dia do Acordo Ortográfico.

Tudo isto ocorre à segunda página e o assassino termina o livro incólume, pois o escritor está devastado pela morte do herói por um erro gramatical.

Toriop não mais entra nos livros seguintes, onde assistimos ao crescimento da onda de crime até aos limites do apocalipse, sendo que o décimo livro termina com um capítulo em branco, uma vez que o escritor se suicida por obesidade da consciência.



*texto original do blog O Javali de Vladivostok - http://ojavalidevladivostok.blogspot.pt/2013/04/o-escritor-de-policiais-que-matou-o.html

Sem comentários:

Publicar um comentário