quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Eu Poético: «Reciclagem»

Reciclagem

deixei a tristeza no caixote verde,
no azul a raiva,
no amarelo resta-me a emoção
da saudade de não te ver mais.
largo tudo e vou ao mar,
onde imagino os castelos
que um dia fiz
com aquele balde
e aquela pá.
ai se eu pudesse voltar aos dias em que brincava sem fim
e imaginava morrer velho
(como as estrelas lá longe)
e pensava ser um super herói
(como o Indiana Jones)
e julgava que amar era abraçar a minha mãe
e...
e...
e
tanto
futuro
não
medido.

se eu então pudesse...
retomaria o passado de que sinto falta,
coleccionaria todos os teus sorrisos
e guardava o teu cheiro num baú a sete chaves.
no meu ouvido a tua voz,
na minha pele a aspereza da tua mão,
no meu coração o aperto das tuas angústias
e na retina a imagem dos dias felizes.

já que a memória não se recicla,
já que a memória não se transforma em presente,
já que o tempo não se repete,
já que o tempo não volta para trás,

deixa-me apenas
e tão só
escrever.

escrever é a solução final.

Rodrigo Ferrão



Sem comentários:

Publicar um comentário