terça-feira, 16 de setembro de 2014

Oscar Wilde no livro de Allan Percy

Citações:

«Quando as pessoas concordam comigo sinto que devo estar enganado.» | Oscar Wilde
«O mundo é um teatro, mas tem um elenco deplorável.» | Oscar Wilde
«É bastante difícil não sermos injustos com aqueles que amamos.» | Oscar Wilde
«Seja você mesmo, os restantes papéis já estão escolhidos.» | Oscar Wilde
«As riquezas vulgares podem roubar-se, mas nunca as riquezas de verdade. Na sua alma há coisas infinitamente preciosas que jamais alguém lhe poderá arrebatar.» | Oscar Wilde
«Não quero ir para o céu, não conheço lá ninguém.» | Oscar Wilde
«Crie-se a si mesmo. Seja o seu próprio poema.» | Oscar Wilde

P.V.P.: 15,00 € 
Data de Edição: 2014
Nº de Páginas: 144
Editora: Marcador

Oscar Wilde para Inquietos

UM MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA ULTRAPASSAR 

OS PROBLEMAS QUOTIDIANOS

Admirado por muitos no início da sua carreira, Oscar Wilde chegou ao fim da vida marginalizado pela sociedade. As suas máximas, entretanto, resistiram à prova do tempo e hoje são um guia para os que buscam orientação nos mais variados aspetos do dia a dia. 

Neste livro encontra 99 máximas que tratam de assuntos variados, como o amor, o dinheiro, a amizade, entre outros, com uma linguagem clara que põe ao alcance de todos até mesmo a ideia mais refinada. Cada capítulo traz uma frase marcante do escritor que Allan Percy comenta e desenvolve. O leitor vai passar a ver o quotidiano sob um novo prisma, irreverente, crítico e, ao mesmo tempo, sofisticado e cheio de esperança.

OSCAR WILDE

«Escritor, poeta, dramaturgo, profundamente crítico com o seu tempo e a sua sociedade, hedonista e sensível perante a beleza tanto exterior como interior. Esse foi Oscar Wilde, um homem majestoso como um pavão e condenado ao inferno por viver numa época em que a sua verdade se devia esconder, Um rebelde dedicado aos sentidos que entoava uma canção de sonhos e de anti-hipocrisia, de amor à arte pela própria arte, e de exultante liberdade...

Durante anos, o seu nome levou o estigma que lhe impuseram os seus, a mancha que a sociedade vitoriana lançou sobre ele. Mas hoje em dia as suas obras são tesouros da literatura e prostramo-nos diante do artista e do crítico social que foi.

Um homem que nos ensinou como a beleza, tanto interior como exterior, foi concebida para ser desfrutada. Que negar a paixão e o gozo é como arrancar as asas, e que se deve viver os sonhos»

*in Oscar Wilde para inquietos, Marcador

Sem comentários:

Publicar um comentário