sexta-feira, 12 de setembro de 2014

a-ver-livros: refeição

A poesia mastiga-se
como o pão
devagar
saboreando o pingo
da sardinha fresca
abocanha-se 
devagar
como um osso
por demais desejado
trinca-se 
uma vez e outra
devagar
como um lábio
que traz sorrisos
à tona da pele

Ana Almeida

* para saber mais sobre a pintora francesa Marie Godest
siga o link http://mariegodest.com/

Sem comentários:

Publicar um comentário