quarta-feira, 2 de julho de 2014

Um dia puro para Sophia - Panteão hoje

"Terror de te amar num sítio tão frágil como o mundo
Mal de te amar neste lugar de imperfeição
Onde tudo nos quebra e emudece
Onde tudo nos mente e nos separa.
Que nenhuma estrela queime o teu perfil
Que nenhum Deus se lembre do teu nome
Que nem o vento passe onde tu passas.
Para ti eu criarei um dia puro
Livre como o vento e repetido
Como o florir das ondas ordenadas."


Sophia de Mello Breyner Andresen, in “Obra Poética”

foto Eduardo Gageiro 


Os restos mortais de Sophia são hoje depositados na Igreja de Santa Engrácia, em Lisboa, também conhecida por Panteão Nacional, em cerimónia oficial. Fica na mesma sala do general Humberto Delgado e do escritor Aquilino Ribeiro. Aposto que vão ter grandes conversas. 

* para saber mais siga o link http://www.jn.pt/PaginaInicial/Cultura/Interior.aspx?content_id=4003619&page=1

Sem comentários:

Publicar um comentário