domingo, 11 de maio de 2014

Emílio Miranda, dia 22

Tu, melhor do que ninguém, deves saber que uma alma é um mecanismo complexo
Simultaneamente frágil e resistente
Uma espécie de fábrica de alegrias e de tristezas, quanto bastem;
Nunca mais do que as que ameacem
A felicidade dos teus dias. E que é tão importante cuidá-lo e mantê-lo
Quanto é ser mais do que parecê-lo.

Uma alma – lembra-te – é um gerador de luz ou de sombras, conforme seja
Alegre ou triste quem a conduz;
Conforme seja a energia que ela produz:
Ígnea ou bruxuleante e insegura!

Se a tua for mais propensa às trevas do que à claridade; mais amiga da lua
Do que do sol; passeia-a como quem passeia uma criança;
Leva-a como levas a esperança,
Pela mão. Uma alma necessita de atenção. De um mecânico
Que a conheça; que não esqueça
Que cada um tem a sua. E que a tua
É a peça de que o teu relógio carece
Para ser tempo; para que a vida aconteça
Como toda a alma deseja e merece!

Não te esqueças: tu és o melhor conhecedor;
O melhor consertador de almas sobre a terra.
Basta teres uma!

Emílio Miranda 

 Foto: Cláudia Miranda

Sem comentários:

Publicar um comentário