domingo, 4 de maio de 2014

Emílio Miranda, dia 21

Fica bem dedicares um poema a uma pessoa importante
Mesmo que não te conheça
Sobretudo se não te conhecer
É uma boa forma de te apresentares
Se tiveres arte. Um poema dedicado é um passou bem
Um aperto de mão caloroso e sorridente
Mas, confessemos, um oportunismo inconveniente!

Fica bem dizer certas coisas; fica mal não as dizer…
A igualdade entre todos os homens
É uma presunção agradável
De que muitos discordam
Com razão! Códigos genéticos são um erro crasso:
É igual, a mão que mata,
À que convida
E o braço que abraça
Ao que empurra,
Mas não o desejo e a vontade!

Emílio Miranda 

Foto: Cláudia Miranda

Sem comentários:

Publicar um comentário