sábado, 10 de maio de 2014

Assim arranca «Intempérie» de Jesús Carrasco

P.V.P.: 15,00 € 
Data de Edição: 2014
Nº de Páginas: 216
Editora: Marcador

1.

No seu buraco de argila escutou o eco das vozes que o chamavam e, como se de grilos se tratasse, tentou localizar cada homem dentro dos limites do olival. Berros como estevas calcinadas. Deitado de lado, o seu corpo em forma de seta encaixava-se na cova sem deixar espaço para se mover sequer. Os braços envolvendo os joelhos ou servindo de almofada, e apenas um nicho para o bornal dos mantimentos. Havia disposto uma ruma de varas de poda sobre dois ramos grossos que serviam de vigas. Esticou o pescoço e deixou suspensa para poder escutar com maior clareza e, semicerrando os olhos, aguçou o ouvido em busca da voz que o obrigara a fugir. Não a encontrou, tão-pouco distinguiu ladrilhos, e isso aliviou-o porque sabia que só um cão bem ensinado podia descobrir o seu esconderijo. Um perdigueiro ou um bom trufeiro coxo. Quem sabe um sabujo, um desses animais de patas curtas lenhosas e orelhas descaídas que vira uma vez num jornal chegado da capital.

Sem comentários:

Publicar um comentário