quarta-feira, 9 de abril de 2014

his eyes are underneath the ground

Castor, de Ray Caesar, 2005
Fonte: www.raycaesar.com

"Voltou a aproximar-se do retrato para ver melhor aqueles olhos enigmáticos e percebeu, aterrorizado, que estavam realmente a olhar para ele. Já não era uma cópia da natureza, mas havia neles aquela vida estranha que iluminaria o rosto de um morto que se levantasse do túmulo. Fosse o luar trazendo consigo o delírio do sonho e revestindo tudo de imagens transmutadas, tão contrárias das do dia positivo, ou fosse outra qualquer a causa, o certo é que o pintor sentiu de súbito, sem compreender, que tinha medo de ficar sozinho no quarto. Afastou-se devagarinho do retrato, voltou-se para o outro lado e tentou não olhar para ele; mas involuntariamente lançava-lhe olhadas pelo canto do olho. Acabou por sentir um medo real de andar pelo quarto, parecia-lhe que alguém o seguia, e lançava olhares medrosos para trás. "

O Retrato, em Contos de São Petersburgo, Nikolai Gógol

Sem comentários:

Publicar um comentário