segunda-feira, 7 de abril de 2014

a-ver-livros: quieta

Anda, cobre essa nudez 
que me desinquieta,
restos do inverno que passou,
aquieta o desejo desassossegado
pelas primeiras folhas 
na figueira
que o vento irrequieta sem pudor

Segue o caminho inquieto
da primavera e abraça-me 

apenas na quietude de nós

Ana Almeida

* para saber mais sobre o pintor húngaro Ivan Polya
siga o link www.artnet.com/artists/ivan-polya

Sem comentários:

Publicar um comentário