terça-feira, 1 de abril de 2014

a-ver-livros: inverdade

Mente-me 
como quem não quer 
que a verdade atrapalhe
o nascer do sol
nem o passo estugado
do medo a subir a rua

Mente-me
como se a paixão mordesse
o que resta da coragem 
ou cuspisse o riso 
por entre os dentes

Mente-me
e depois passa-me a mão 
pelo cabelo
- como se a verdade
fosse infâmia

Ana Almeida

* para saber mais sobre a ilustradora polaca Franciszka Themerson
siga o link www.themersonarchive.com

Sem comentários:

Publicar um comentário