quinta-feira, 10 de abril de 2014

a-ver-livros: estampido

Soubesse como traduzir 
a vontade de explodir
e este poema era outra coisa
granada talvez
ogiva
vórtice centrado no peito
súbito e violento
sangrando palavras duras 
como diamantes

Mas limito-me ao estampido
patético
que faço ao deixar-me 
cair no chão

Ana Almeida

* para saber mais sobre o ilustrador turco Gürbüz Doğan Ekşioğlu
siga o link www.gurbuz-de.com

Sem comentários:

Publicar um comentário