quarta-feira, 12 de março de 2014

ALA... que é poesia XV

Continuo a juntá-los, colecção de pequenas pérolas que hão-de fazer um colar para usar em dias de festa, os poemas que António Lobo Antunes escreveu por aí, como mais este de hoje.
"Fado do Pedinte da Igreja dos Mártires" surge em forma cantada pela voz de Vitorino, no disco "A Canção do Bandido" de 1995. Leiam e ouçam.

Ana Almeida


Fado do Pedinte da Igreja dos Mártires 

Ai telhados de Lisboa
ai sombras que a noite tem!

que bando de pombos voa

desde Alfama à Madragoa

do Bairro Alto a Belém?



Ai se eu tivesse dinheiro

comprava-te uma andorinha,

um porquinho mealheiro

e uma rosa de cheiro

p’ra te cheirar à tardinha.



Ai lábios tristes de vinho

caixa de esmola a meu lado!

quando me sentir sozinho

minha viola de ceguinho

canta comigo este fado.



Deixa-me ficar contigo

sentado à porta da igreja

como ando por castigo

de muletas de mendigo

neste verso que te digo

anjo ou diabo, salvo seja.

António Lobo Antunes 


PARA VER O VÍDEO SIGA O LINK
http://www.youtube.com/watch?v=CuCV86Q9hGI

Sem comentários:

Publicar um comentário