quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Poesia que passa ao lado #4

Cavalo Volátil

No indefeso mercúrio das florestas
as árvores são as minhas luxuosas
portas do terror. E a primavera
passa por elas, indestrutível
como um cavalo volátil.




Joaquim Luís Alves in Autores Não Publicados, Assírio&Alvim 1987

Sem comentários:

Publicar um comentário