quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Eu poético: «Longe»

Longe

porque temos velocidades diferentes,
caminhos opostos,
filosofias militantes,
ou egoísmos próprios?

eu estou aqui,
longe de ti.
troco alhos
pelos teus bugalhos
e tu afirmas o meu não.

fazes de conta que não te interessa.
finges que não importo.

aquilo que se passou entre nós não eras tu,
era o álcool.

e depois foi carência.
e depois solidão.
e depois tristeza.
e depois...

veio um novo dia
e a chuva sucedeu à chuva,
o inverno cobriu-se de frio,
o vento levou telhados,
as ondas engoliram o pontão...

e eu amanheci,
lá longe.

Rodrigo Ferrão

Foto: Rodrigo Ferrão

Sem comentários:

Publicar um comentário