sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Poesia que passa ao lado #1

Pia o mocho,
Sopra molhado
o vento.
Ouço-os.

O mar
revolto
revoltado
estronda a noite
onde mergulha.
Ouço-o
e compreendo-me.

Fujo do tempo
que não vivo
deixando-o
escoar-se
por entre mim.

A.Maia in "Autores Não Publicados", Assírio&Alvim, 1987


Foto: mocho-galego / Fonte: wikipédia

Sem comentários:

Publicar um comentário