terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Abrunhosa em contramão: pequena forma de literatura


"Para mim, um disco é cada vez mais um livro, uma narrativa contínua de histórias desencontradas que se reencontram na música que escrevo, de personagens, por vezes atormentadas, outras felizes, de sentimentos de perda ou de conquista que acabam por ser comuns a muitos de nós. Falo de mim através das vozes de outros e transponho-me para os outros usando a minha própria voz. Ao longo de todo este tempo, diria quase desde que me conheço enquanto músico, procurei melhorar a simplicidade daquilo que verdadeiramente me fascina: escrever canções. O que aí vem é apenas isso. A minha vida tornada palavra e harmonia."

As palavras são do cantor Pedro Abrunhosa - que acaba de lançar já este mês um novo disco: "Contramão". Mais do que o tema que dá nome ao álbum, um outro tem vindo a conquistar e a comover os portugueses, por cá e espalhados pelo mundo.
Leia este poema/letra e perceba porquê.

"Para os Braços da Minha Mãe"
letra e música: Pedro Abrunhosa
interpretação: Pedro Abrunhosa e Camané


Cheguei ao fundo da estrada,
Duas léguas de nada,
Não sei que força me mantém.
É tão cinzenta a Alemanha
E a saudade tamanha,
E o verão nunca mais vem.
Quero ir para casa
Embarcar num golpe de asa,
Pisar a terra em brasa,
Que a noite já aí vem.
Quero voltar
Para os braços da minha mãe,
Quero voltar
Para os braços da minha mãe.

Trouxe um pouco de terra,
Cheira a pinheiro e a serra,
Voam pombas
No beiral.
Fiz vinte anos no chão,
Na noite de Amsterdão,
Comprei amor
Pelo jornal.
Quero ir para casa
Embarcar num golpe de asa,
Pisar a terra em brasa,
Que a noite já aí vem. 
Quero voltar
Para os braços da minha mãe,
Quero voltar
Para os braços da minha mãe.

Vim em passo de bala,
Um diploma na mala,
Deixei o meu amor p'ra trás.
Faz tanto frio em Paris,
Sou já memória e raiz,
Ninguém sai donde tem Paz.
Quero ir para casa
Embarcar num golpe de asa,
Pisar a terra em brasa,
Que a noite já aí vem. 
Quero voltar
Para os braços da minha mãe,
Quero voltar
Para os braços da minha mãe."

 
Depois assista à entrevista que o cantor portuense deu na RTP.

2 comentários:

  1. Olá!
    Que belo até vieram as lágrimas aos meus olhos! :-)

    leiturasfabulosas.blogspot.pt

    ResponderEliminar