quinta-feira, 3 de outubro de 2013

É do borogodó: balada de um amante solitário

estendida tua pele convida plácido dourado morno abraço (perambulava a fome, castigava a sede, maltratava o vazio); o cheiro do sal saliva a boca ao toque convida  - quase serena quase tímida quase grata – estendida tua pele esboça sorriso malicioso envolvente tal mecha de cabelo cisma curva do pescoço (ósculo desvelo de erupção instantânea); estendida tua pele embriaga sentidos festejam cores ardores exalam sabores ranhuras tenras (grãos de pólen desassossegam narinas brotam nos olhos imensos girassóis); o amor jamais confortável no sacrifício de plena entrega da tua pele alva e estendida: aportei-me em mim, doce promessa para dias melhores, aportei-me em mim, fui flagrado suspenso no ar ao tempo exato em que faria proposta

Penélope Martins

fotografia de José Espada Feio

Sem comentários:

Publicar um comentário