quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Gonçalo M. Tavares, uma vez mais

animalescos de Gonçalo M. Tavares já chegou. Pela mão da Relógio D'Água.


No suplemento «Atual» de 10 de Agosto, Pedro Mexia faz a crítica de «animalescos» de Gonçalo M. Tavares.
«O título é todo um programa, e a capa, uma reprodução de Bacon, também. Tavares estudou o “mal” enquanto categoria histórico-filosófica em obras como a tetralogia “O Reino”; mas "animalescos" mostra “o mal” como condição, numa sequência de cenas medonhas: doentes psiquiátricos que abrem literalmente a cabeça, pedintes que comem moedas, cães despedaçados por urubus, miúdos criados como bestas, hospitais atacados por predadores, filhos que enterram vivo um pai esquizofrénico, médicos que dão marteladas aos seus pacientes. (…) Quando a "New Yorker" escreveu que em Gonçalo M. Tavares “a lógica pode servir eficazmente tanto a loucura como a razão”, definiu, por antecipação, este livro inquietante e feroz.»



Sem comentários:

Publicar um comentário