sábado, 4 de junho de 2011

Rebolar em livros...

Eu e Ubik jantamos na feira do livro, aqui há uns dias. Decidimos ficar para a 'happy hour', ou seja, hora em que muitas editoras fazem descontos até metade do preço.

Um dia para esquecer nos nossos bolsos. Salva-se a colecção de mais e mais tesouros... As nossas casas começam a não ter espaço para tanta coisa.

Levados pela febre, tivemos um momento hilariante. No pavilhão da Porto Editora / Bertrand existem alguns caixotes carregados com livros descatalogados ou edições antigas. No meio de muitos atentados, descobrem-se obras a preço razoável, como Vergílio Ferreira ou Aquilino Ribeiro.

Uma extensa colecção de livros da Quetzal a preços entre os 2 e os 3.50€, por momentos, enganou-nos. Isto porque faltavam poucos minutos para o pavilhão fechar e nós, erradamente, julgamos que aqueles preços ainda iam descer mais...

Foi a confusão, pois reviramos o caixote de trás para a frente e processamos - em milésimos de segundo - centenas de títulos e preços. Quem nos visse ficaria, de certo modo, a pensar que tínhamos caído numa piscina (daquelas com bolinhas de muitas cores). De rir...


Peguei no carro e seguimos viagem para Guimarães - a cidade que nos apresentou e onde convivemos em alguns meses no mesmo emprego. Com a luz interior do carro, o meu amigo Ubik foi lendo algumas passagens do livro de Julio Ramón Ribeyro - Prosas Apátridas (recentemente publicado pela Ahab).

Não vos consigo transmitir a beleza daquela viagem. Este livro tem tanta e tanta matéria para ser lida e discutida que, provavelmente, podia servir de base a um blogue só de citações.

O melhor é convidar-vos a ler. Quando acabar de ler o meu, prometo deixar um breve resumo.

Sem comentários:

Publicar um comentário