quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Crepuscular...

Jorge Costa fundou uma República de Coimbra em 1956 com alguns amigos do liceu de Aveiro. Não se formou ou fez qualquer cadeira. Mas escreveu isto que vos deixo.

Vivi três dos mais preciosos anos na República Boa-Bay-Ela. A lá regresso constantemente.

"Todas as tardes eu ia ver o mar!...

Um mar que era calmo
E que se confundia com céu
Na linha do horizonte!...

Todas as tardes eu ia ver o mar!...

Um mar que era azul,
Todo azul,
Lá longe, bem distante!...
E o céu era também azul!...
E tudo era azul!...

Todas as tardes eu ia tomar banho ao mar!...
Eu ia tomar banho ao mar mesmo quando chovia!...
E a chuva que caía
Ia fazendo o mar mais azul!...
Mesmo que chovesse, eu ia tomar banho ao mar!...


E as ondas pequeninas
Banhavam docemente a praia!...
O meu corpo sentia então,
Em carinhos azuis,
As ondas, a chuva e o mar!...
Tudo era azul!...
Chovia!...

Todas as tardes eu ia tomar banho ao mar!...
A praia estava morna e quente!...
Chovia!...
O poente era azul!...
E azul era o céu e o mar!...
Tudo era azul!...
Até a luz do crepúsculo era azul!...


Era azul este crepuscular!...
A praia estava morna e quente,
E a chuva fazia ser azul o poente,
Estavam azuis o céu e o mar!...

Todas as tardes eu ia ver o mar!...

Crepuscular!...

CREPUSCULAR!..."


Jorge Lyn-Kopo

Sem comentários:

Publicar um comentário